Auxílio Emergencial: governo envia 1,2 milhão de SMS para cobrar devolução

O governo federal está cobrando a devolução do auxílio emergencial a presos, militares, aposentados e servidores públicos.

Assim como prometido, no final de dezembro o governo federal enviou mensagens de texto a servidores públicos civis e militares, aposentados e até presos do regime fechado cobrando a devolução do auxílio emergencial que foi recebido indevidamente.

Segundo o governo, 1,2 milhão de cidadãos brasileiros foram contatados entre os dias 21 e 22 de dezembro. As informações são de documentos do Ministério da Cidadania a que a TV Globo teve acesso.

A pasta ainda não divulgou o número de pessoas que efetivamente devolveram o dinheiro, nem explicou por que enviou mensagens a detentos do regime fechado. A lista de pessoas que tiveram benefício cancelado e, em seguida, foram acionadas por SMS para fazer a “devolução voluntária” inclui:

  • 119.688 aposentados ou beneficiários do INSS;
  • 5.929 servidores públicos civis;
  • 4.453 servidores públicos militares;
  • 3.401 presos em regime fechado.

O Ministério da Cidadania, que é responsável pela gestão do auxílio, não explicou como pessoas que constam na própria folha de pagamentos da União tiveram os cadastros autorizados.

A pasta também foi questionada sobre os benefícios pagos a presos em regime fechado e, também, sobre a lista de contatos telefônicos utilizada pelo ministério para enviar mensagens a esse grupo. O governo ainda não respondeu.

Fonte: Portal Contábeis

Nosso blog

DECLARAÇÃO AO COAF

DECLARAÇÃO AO COAF

Sobre o Coaf O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) é um órgão de deliberação coletiva com jurisdição

GOVERNO DO ESPÍRITO SANTO DIVULGA O NOVO MAPA DE RISCO COVID-19

GOVERNO DO ESPÍRITO SANTO DIVULGA O NOVO MAPA DE RISCO COVID-19

O Governo do Estado anunciou, na sexta-feira (08), o 39º Mapa de Risco Covid-19, que terá vigência entre segunda-feira

LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados

LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados

O que é a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais? Dê um “giro” pela lei e conheça desde